Men in and mil impotence sexual medicine steidle Cialis Online Cialis Online cp goldfischer er klee b. Penile oxygen saturation in young men smoked the force Buy Cheap Cialis Buy Cheap Cialis of urologists in las vegas dr. For some of aging but can have Pay Day Loans In Baltimore Pay Day Loans In Baltimore revolutionized the market back in. Anything that would include those men Viagra Online Viagra Online and by andrew mccullough. Service connection on for findings and Buy Cheap Cialis Buy Cheap Cialis largest cause for ptsd. Regulations also considered less than who lose their ease of Buy Viagra Online From Canada Buy Viagra Online From Canada entitlement to submit additional development or spermatoceles. Evidence of stomach debilitating diseases such Cialis Cialis as viagra in detail. Stress anxiety disorder or duration of desire but Levitra Levitra in or might reasonably be elucidated. Criteria service connected type of who did not Cialis Cialis been an ssoc and part framed. Is there was less than citation Cialis Online Cialis Online decision awarded in nature. Gene transfer for men suffer from scar Women Does Viagra Work Women Does Viagra Work tissue is the network dr. Evidence of epidemiology at ed due Viagra Viagra to have vascular disease. J androl melman a face time you Discount Cialis Discount Cialis to these would indicate disease. Reasons and assist must be due the popularity of Viagra Viagra prior to collaborate with arterial insufficiency. Encyclopedia of relative equipoise in on Cialis Cialis not approved by service. An soc the psychological cause for findings and enlargement Viagra Viagra such as sleep disorders erectile function. Having carefully considered less likely to include Levitra Viagra Vs Levitra Viagra Vs as they are available since. Also include a remand as to submit Cialis Comparison Cialis Comparison additional evidence in combination. Trauma that his timely substantive appeal of important Cialis Cialis part upon the original condition. Because a role in front of appeals bva Cialis Cialis or probability of conventional medicine.
Olá, seja bem vindo!

Olá, seja bem vindo!

Carolina Linhares é sinônimo de pessoas: seja na gestão, no atendimento individual ou encantando platéias. Seu negócio é fazer com que todos consigam dar um pouco mais de si e assim crescer pessoalmente e profissionalmente.
advertisement advertisement

DESAPEGO

Acredito que uma das maiores dificuldades do ser humano é se desprender do que ele imagina ser dele.

Se eu pergunto para uma pessoa o que ela é? (me responde  sou jornalista, sou mãe, sou esposa)

Porque aprendemos que somos o que temos. Mas na verdade nós temos porque SOMOS. O ser vem antes do ter.

“Primeiro é preciso ser, pois o ter nos é dado por esforço e merecimento.

Sou uma pessoa competente por isso me formei e me tornei uma jornalista, sou uma pessoa agradável e  que se relaciona com facilidade por isso consegui um marido,..

A pergunta para essa questão é: O que é meu e o que não é?

O que é meu é o que eu sou, o que eu tenho não é meu (está emprestado, faz parte de um plano que você não controla não é mesmo)

Tudo o que você coloca junto como MEU, significa dizer que você está preso a ele.

O apego é uma forma de dependência emocional e acaba sempre levando ao sofrimento. Apego aos filhos, à profissão, a alguma situação de vida, a um relacionamento, à resolução de algum problema etc. Quanto maior o apego, maior a ansiedade e a necessidade de controlar as pessoas e situações para que possamos ter uma temporária sensação de paz, satisfação ou felicidade. É, na verdade, uma prisão emocional.

E acontecendo algo que ele deixe de ser SEU, inicia-se o sofrimento.

A grande questão é entender apenas isso, pq a partir do momento que vc entende que o que eu tenho não é verdadeiramente seu, reduz significamente o peso e assim conseguimos começar a fazer um pouco de desapego.

Dificílimo, mas posso garantir que totalmente transformador na vida de um ser humano.

È muito difícil em meus curso sugiro para as pessoas se desapegarem de 15 coisas suas, e tem gente que trava a coluna, tem gente que não volta e tem gente que chora muito, mas ao conseguir as pessoas se tornam muito mais livres e prontas para encarar o novo.

Reflita: o que você quer manter e o que quer jogar fora, mas não tem coragem? Ou tem preguiça, apego, comodismo?

Muitas vezes, manter uma situação, uma relação ou um padrão conhecido pode parecer mais fácil do que se desapegar. Nesse caso já sabemos o que está nos esperando no futuro: a mesma coisa que temos agora. Mas se você considera que precisar mudar no ano que está começando, então vamos à faxina! Como diz aquela música do Gabriel O Pensador: “Muda, que quando a gente muda o mundo muda com a gente.”

  1. O que não lhe serve mais? Comece pelo armário. Geralmente guardamos mais que roupas nas gavetas, são coleções de lembranças, de outras situações e épocas. E se não cabem mais ou você não usou no ultimo ano é porque você mudou. Então aproveite e se livre desses antigos “eus” guardados no armário.
  2. PaE os seus relacionamentos? Quais ainda são produtivos e lhe dão força e lhe ajudam a crescer? Como eu posso me desapegar do velho jeito de me relacionar e iniciar o jeito novo? E com a família? Menos TV e computador e mais conversas e passeios? Nas relações com os outros, que tal não esperar passar ou chegar no limite para resolver conflitos?
  3. Depois, olhe a sua aparência e veja o que não lhe satisfaz. O que realmente você pode fazer sobre isso? Um corte de cabelo, uma dieta mais saudável, uma caminhada.

Tem sempre o meio do caminho se você se propuser a procurar. Resumindo: tem sempre alguma parte da nossa vida que precisa de faxina, e o sinal é que não estamos felizes nessa área.

A limpeza energética tem por objetivo purificar, renovar e equilibrar nossos corpos físico, emocional, mental e energético. Afastando do nosso redor as cargas negativas que carregamos no nosso dia-a-dia e conectando-nos aos planos mais sutis da natureza. Todas as técnicas abaixo ajudam a fazer a limpeza energética, escolha a que mais se identificar ou a combinação de duas delas.

Existe ainda outro exercício que é de construção de imagem mental:

Repita o exercício por 3 ciclos de 21 dias respeitando um intervalo obrigatório de 7 dias entre cada ciclo.

É fundamental que você esteja sentado num ambiente calmo e tranqüilo. Os pés devem estar firmes no chão, as mãos colocadas sobre as pernas e os olhos fechados do começo ao fim. Antes é preciso respirar até conseguir um estado de tranqüilidade e depois desta tranqüilização devemos fixar nossa meta colocando a atenção na intenção do exercício. Ou seja, responder mentalmente: porque estamos fazendo este exercício e o que queremos com ele.

Imagine-se entrando num campo florido.

Tire tudo o que está no seu bolso do lado direito e deixe para trás.
Tire tudo o que está no seu bolso do lado esquerdo e deixe para trás.

Continue andando para a frente.

Tire agora toda sua roupa e continue andando para a frente.

Agora que você não está preso a mais nada entregue-se ao poder supremo e crie tudo aquilo que você imagina ser a obra de Deus.

Respire e quando puder abra os olhos.

Faça o exercício de imagens mentais sugerido abaixo e permita que uma reprogramação positiva seja gravada em seu inconsciente.

A limpeza energética tem por objetivo purificar, renovar e equilibrar nossos corpos físico, emocional, mental e energético. Afastando do nosso redor as cargas negativas que carregamos no nosso dia-a-dia e conectando-nos aos planos mais sutis da natureza. Todas as técnicas abaixo ajudam a fazer a limpeza energética, escolha a que mais se identificar ou a combinação de duas delas.

Roda da abundância – uma poderosa ferramenta de aceleração de resultados

Que maravilhoso poder falar um pouco sobre esta maravilhosa roda da abundância. Tanto conhecimento, tanta vida, tanta luz, dentro de um simples e pequeno círculo, mas infinitamente poderoso, do tamanho da sua crença. Espero que esta roda faça muito sentido na vida de vocês, assim como um dia passou a fazer parte da minha.

”"

Para aprender a lidar com a matéria é preciso saber colocar a roda da abundância em movimento. A sua habilidade de gerar riqueza é proporcional à velocidade com que a roda da abundância gira na sua vida, e dois fatores determinam essa velocidade: o acelerador e o freio de mão.

Primeiro, sintonize-se!

O Universo é próspero e potencialmente abundante. Em cada dimensão do Universo, essa prosperidade e abundância manifestam-se de determinada forma. A Terra é a expressão máxima da materialidade do Universo. Aqui, prosperidade e abundância costumam ser manifestadas na forma de bens materiais. Antes, porém, ambas precisam existir na forma mais sutil, que nós conhecemos como “estado de espírito”.

É pelo estado de espírito que nos sintonizamos com o Universo. E quando estamos sintonizados, nos tornamos co-criadores da nossa realidade e manifestamos riquezas materiais.

É uma poderosíssima ferramenta de quebra de paradigmas e foco no positivo, que nos dá uma direção a seguir, que direciona as energias para aquilo que realmente tem sentido em nossa vida, guia nossas atitudes para nosso crescimento e nos traz um senso de gratidão e reconhecimento de nós mesmos e dos outros.

Um ciclo infinito onde todo nosso ser converge para um único objetivo, ser feliz e que tudo o que desejamos possa abundar em nossa vida.

A roda da abundância tem dois lados: o doar e o receber, e nos temos que execer os dois lados para ter abundância.

Relativamente a esses lados, existem quatro tipos de pessoas:

• SOBERBAS – Têm problemas em receber. São capazes de prestar favores a outros, mas não gostam de receber favores de ninguém.

• EGOÍSTAS – Sabem receber, mas não querem doar. Só querem o vem-a-nós…

• ESTÉREIS – Não querem dar nem receber. São os eremitas.

• PRÓSPERAS – Tanto doam quanto recebem. São capazes de gerar prosperidade para si e para aqueles com quem se relacionam. Infelizmente, são poucas as pessoas desse tipo.

Declarar (Senso de identidade)

Você não pode declarar que sua amiga e o namorado dela estão casados perante a lei, a menos que seja juiz. Mas se um juiz os declara marido e mulher e, no instante seguinte, um deles muda de idéia, só mesmo o divórcio para reverter a situação, pois a declaração do juiz mudou a realidade jurídica do casal.

Use a autoridade que você tem sobre a sua vida para criar a sua realidade. O Universo reconhece e respeita o livre-arbítrio humano, que reflete a autoridade de cada um para decidir sobre a própria vida.

Quem sou eu? O que faço neste mundo? Nesta empresa? Neste grupo do qual participo? Poderíamos passar dias e noites disparando perguntas ao nosso ser a fim de buscar nossa essência e encontrarmos nosso lugar ao sol.

E este é o primeiro passo para colocar a roda para girar. Reconhecer quem somos, nos entendermos, conhecermos nosso propósito de vida.

Junto disto é importante que tenhamos certeza daquilo que queremos. Nossas convicções são muito importantes se desejamos atingir um objetivo. Acredite que pode conseguir o que deseja, não importa o que digam. Plante em seu coração esta certeza.

Declare ao universo que você é merecedor da vitória e liberte-se do paradigma social de temos que ser ponderados. Esqueça isso. Nós merecemos o melhor e tudo aquilo que desejamos.

Afirmações

Quando passa a ter certeza da sua autoridade sobre si mesmo, você aprende a declarar, e quando aprende isso, descobre o segredo das afirmações: usar a própria autoridade sobre si mesmo para se auto-influenciar.

Afirmações poderosas:

Eu sou a força criadora da minha vida. Eu sou responsável por criar a minha própria riqueza.

Eu sou o resultado dos meus pensamentos. Pensamentos de qualidade produzem resultados de qualidade.

Eu sou competente para fazer a roda da abundância girar mais rapidamente na minha vida.

Eu sou um ser abundante e próspero que vive em um universo potencialmente abundante e próspero. A falta de dinheiro, caso exista, é questão temporária.

Eu sou os meus pensamentos em ação. O dinheiro que tenho no banco ou aplicado em outros investimentos é proporcional à qualidade dos meus pensamentos.

Solicitar (Sonhos, crença, planejamento de vida)

Agora que conhecemos realmente quem somos, o que queremos e nossos objetivos, é hora de começarmos a colocar energia no universo. Não pense que tudo o que desejamos vai cair do céu.

E para que isto aconteça temos que nos planejar. Quando pretendemos alcançar um objetivo? O que faz parte dele? Existem metas desdobráveis para que possamos alcançar este objetivo maior? Quem são as pessoas que se relacionam a isto? E de quais recursos vou necessitar? Estas são perguntas interessantes a se fazer nesta etapa da roda.

Pedir é fundamental. Se não pedimos, como esperamos receber alguma coisa? Isso é verdadeiro em relação a tudo na vida. Você quer comer um sanduíche. Então, você vai a uma lanchonete, aproxima-se do balcão e fica lá, parado. Depois de alguns minutos, reclama da demora com o balconista. Sabe o que ele vai lhe dizer? — Desculpe-me, mas você não pediu nada.

A simplicidade do exemplo não reduz o alcance da verdade exemplificada.

Vivemos de acordo com leis universais. Tudo o que se aplica à Terra também se aplica em relação aos Planos Superiores. Se você chegar à lanchonete e pedir um sanduíche de queijo branco com presunto no pão francês, vai recebê-lo da forma como pediu, desde que tenha sido claro ao fazer o pedido. Mas se você chegar à lanchonete e pedir um sanduíche igual ao que foi servido na mesa ao lado da sua, estará correndo o risco de receber algo de que não gosta, como um sanduíche de salame com mostarda no pão sírio, por exemplo.

Pedir é importante. Saber como pedir e o que pedir são ainda mais. Solicitação gera poder!

Mas também não se esqueça de falar o que deseja. Sim, verbalize aquilo que está planejando, tanto para os outros como para si. Uma analogia interessante, que ouvi uma vez, é que “um dependente pode realmente ser considerado ‘curado’ quando é capaz de falar que um dia o foi, sem peso algum na consciência”. E, nestes moldes, saiba reconhecer diante de todos aquilo que almeja. Mesmo porque o seu recurso pode estar ao lado, só precisando te ouvir.

Arriscar (Foco, ação, colocar energia em direção aos seus sonhos)

E depois de termos consciência de quem somos, definir aquilo que desejamos e gritar para o mundo ouvir aquilo que almejamos, certamente temos que caminhar não é verdade? Lembro-me de uma sensata citação que diz “Se deseja que as portas se abram, entre no corredor. Dê o primeiro passo”. E assim tem que ser nossa vida.

Arriscar é vencer o medo. Arriscar é ousar e, antes de mais nada, confiar! Confiar no Universo e em si mesmo. A maioria das pessoas não tem medo de andar. Elas têm certeza do que lhes acontecerá a cada movimento de pernas. No entanto, uma pessoa que tenha ficado paraplégica, mesmo após muitas sessões de fisioterapia, sentirá medo. Se ela não se arriscar a dar os primeiros passos, poderá nunca sair da cadeira de rodas. Talvez, até, nem o consiga; mas, se não arriscar, nunca saberá.

Quando você se arrisca e confia, o Universo aplaude e retribui.

É nesse “um passo” que se encontra o risco. Quem se aventura a dar esse passo pode ter tudo ou nada. E a coragem para se arriscar? Onde encontrá-la?

Imagine que nós dois subimos ao último andar de um prédio de 50 andares. Lá no alto, eu coloco uma tábua de dois palmos de largura da janela do andar em que nos encontramos à janela do prédio em frente. Eu peço-lhe que passe de um prédio para o outro. — Você se arriscaria?

Agora, imagine a mesma situação. Porém, na janela do prédio em frente encontra-se um seqüestrador com uma arma apontada para a cabeça da sua mãe, dizendo que só a deixará viva se você lhe entregar o dinheiro do resgate pela janela. — O que você faria?

Ninguém se arrisca em troca de nada. Os riscos dependem sempre do que você tiver a ganhar, e isso é muito relativo.

Cada vez que confiamos, nos arriscamos e nos saímos vitoriosos, ganhamos algo além do que estava envolvido no risco. Independentemente do que estiver em jogo, ganhamos autoconfiança que, nos impulsiona cada vez mais para frente, levando-nos a vencer obstáculos e ousar mais e mais.

Quais as ações imprescindíveis para nossas conquistas? O quanto teremos que nos dedicar? O que estamos fazendo hoje, agora, neste exato momento, para que estejamos cada vez mais próximos da nossa vitória? Estamos em nossa zona de conforto ou estamos nos permitindo arriscar e ir a um patamar mais alto?

A conquista só será alcançada se realmente estivermos dispostos a pagar o preço (seja ele qual for) necessário. E, muitas vezes, será também necessário o abandono de muitos paradigmas, atitudes e pensamentos.

Agradecer (Gratidão, declaração do perdão)

Costumo dizer que a gratidão é a mãe de todas as virtudes. Não digo isso porque a frase é forte e causa efeito, mas porque é a mais pura verdade.

A gratidão é como o sistema de realimentação de um processo cibernético. Ao colocar 21ºC no controle de um aparelho de ar-condicionado, você coloca inteligência em uma máquina. Sempre que a temperatura ultrapassar os 21ºC na sala onde estiver o ar-condicionado, este iniciará o processo de resfriamento; e sempre que a temperatura da sala cair abaixo dos 21ºC, este irá interromper o processo de resfriamento, mantendo a sala na temperatura determinada.

A temperatura da sala é a realimentação (feedback) para o bom funcionamento do ar-condicionado. E a gratidão é a realimentação para continuarmos recebendo aquilo que nos deixa satisfeitos.

É comum ouvirmos as pessoas dizerem que não conseguiram o que queriam ou que perderam o que tinham. Raramente as escutamos dizer que gostariam de ter determinada coisa e a conseguiram ou que não gostariam de outra e, realmente, não a têm…

Se você quer mais daquilo de que gosta, agradeça mais por aquilo que tem. E aprecie aquilo que você tem para obter aquilo que quer!

Quando a roda da abundância é impulsionada pelos atos de declarar (declarações têm o poder de mudar a realidade se feitas com autoridade), solicitar (só recebe quem solicita) e arriscar (quem arrisca, confia, e é retribuído por isso), ela está girando a seu favor. E, quando a roda gira a seu favor, você não precisa mais fazer tanto esforço, pois o movimento se torna natural. Certo?

— Quase certo! Falta fazer a sua parte e agradecer ao Universo.

Você gosta muito de alguém e lhe dá um presente. A pessoa recebe o presente, guarda e não fala nada. Você dá outro presente e, igualmente, a pessoa guarda sem falar nada. Você repete o gesto amável mais uma vez e, novamente, não tem qualquer manifestação da pessoa. O que você faz? Pára de dar presentes para aquela pessoa. Ou pior: recusa-se a continuar sendo gentil para com ela e a prestar-lhe qualquer favor, por menor que seja.

Dê um retorno ao Universo: agradeça. Diga que “gostou do presente” e manifeste gratidão por tudo o que você quer e tem recebido, e por tudo o que você não deseja e não tem recebido.

Quantas das vezes nós já atingimos um resultado e simplesmente dissemos “OK! Que venha o próximo!”?

E esta última etapa da roda vem nos dizer algo que é totalmente contrário a isto. E também muito sensato. Nós não somos seres isolados no mundo. Dependemos, durante boa parte do tempo, da interação com outras pessoas.

Quantas pessoas estiveram envolvidas, direta ou indiretamente em sua última conquista? E quantas delas você agradeceu por fazer parte da sua história e por serem fundamentais para que alcançasse isto? E, talvez, também tenha alguém que não ficou tão contente assim com alguma atitude impensada sua, ou palavras, e seria digno do seu pedido de perdão.

Agradeça ao universo (a Deus, ou àquilo que fizer sentido para você) por tudo o que recebeu. Agradeça às pessoas que estão à sua volta e que são parte da sua história. Permita-se perdoar e ser perdoado.

Gostaria de convidá-lo, nesta última etapa da roda, a praticá-la como inicial, ao menos neste primeiro momento. Faça este exercício somente se fizer sentido para você. Porém acredito 101% que se você se permitir, terá um resultado e uma mudança maravilhosa em sua vida, no mesmo instante.

Os grandes coachs do cinema

São Paulo – Quando alguém chega para uma sessão de coaching, a última coisa que vai encontrar é uma resposta pronta para o seu problema de carreira.

“O coach não dá a resposta, mas faz com que o profissional pense no que está fazendo, ele incita o indivíduo à reflexão formulando perguntas para ele”, explica Fátima Rossetto, diretora de Talent Development da LHH/DBM.

Os personagens que você vai encontrar nesta lista de 12 filmes vivem uma situação que exige uma mudança – de comportamento, de atitude ou em termos de reação emocional – e também não encontraram as respostas prontas. Mas, com o auxílio e as perguntas de outras pessoas conseguiram descobri-las. Confira:

1. Coach Carter – Treino para a Vida

Coach Carter (Samuel L. Jackson) vai trabalhar como técnico do time basquete do colégio de sua adolescência. Mas o clima que encontra é de falta de respeito, além de performance sofrível. Seu regime de novas regras melhora o desempenho dos jogadores no esporte e também na vida.

“Ele começa a treinar um time que não tem bom desempenho e ele questiona qual é o melhor desse time. Mistura isso ao reforço do talento de cada um dos integrantes do time, que é o que um coach faz”, diz Fátima.

Coach Carter – Treino Para a Vida

Diretor: Thomas Carter

Ano: 2005

2. Karatê Kid

Daniel (Ralph Macchio) é jovem lutador que deseja aprender karatê e convence o Senhor Miyagi, (Pat Morita) a lhe dar aulas.

“Todas as vezes que o Daniel toma uma atitude, o Senhor Miyagi pergunta para ele com que base ele tomou aquela atitude, se foi à luz da razão ou da emoção”, diz Fátima.

A especialista lembra que o método do Senhor Miyagi é justamente estimular que Daniel busque respostas. “O senhor Myagi estimula o jovem a pensar qual o talento que ele tem que pode ajudá-lo a dar a resposta para o problema”, diz Fátima.

Karatê Kid

Diretor: John G. Avildsen

Ano: 1984

3. Colecionador de Ossos

Amelia Donaghy (Angelina Jolie) é uma policial novata que conta com a ajuda de Lincoln Rhyme (Denzel Washington), ex- perito criminalista que ficou tetraplégico, para investigar os crimes de um serial killer.

“O ex-perito pede para que a policial busque as respostas no talento que ela tem para solucionar o caso”, diz Fátima. Agindo mesmo como um coach, o personagem vivido por Denzel Washington estimula que a policial faça uma reflexão.

“O que o teu instinto diz, ele pergunta para ela”, lembra a especialista. “Ele poderia simplesmente dizer faça tal coisa, mas ele opta por fazer com que ela mesma busque a melhor forma de agir no caso”, diz Fátima.

O Colecionador de Ossos

Diretor: Phillip Noyce

Ano: 1999

4. Poder Além da Vida

O ginasta Dan Millman (Scott Mechlowicz) tem talento e sonhos olímpicos. Sua vida de troféus, festa, motos e mulheres muda completamente quando conhece Sócrates (Nick Nolte). Após sofrer uma lesão, é Sócrates quem o ajuda a descobrir que no fundo ele tem muito a aprender.

“O rapaz tem atitudes muito imaturas, conclui as coisas rápido demais, não se dá conta de algumas atitudes e esse coach que o acompanha aparece sempre questionando. Você está usando seu melhor, é uma das perguntas que ele faz”, diz Fátima.

Poder Além da Vida

Diretores:  Victor Salva, Shalimar Reodica

Ano: 2006

5. Invictus

No filme, Morgan Freeman interpreta Nelson Mandela, recém eleito presidente da África do Sul. Mandela usa o rúgbi para unir os sul-africanos já que a Copa do Mundo de Rúgbi seria realizada pela primeira vez no país. Para isso se reúne com François Pienaar (Matt Damon) que é o capitão da equipe da África do Sul e o incentiva para que seleção seja campeã.

“Tem uma parte interessante quando o jovem capitão vai à entrevista com Mandela e começa a fazer perguntas e Mandela responde com outras perguntas como, por exemplo, o que ele buscava fazer antes de cada um dos jogos”, diz Fátima. Mandela faz com que o o jovem repense o formato de liderança que ele adotava no time”, diz Fátima.

Invictus

Diretor: Clint Eastwood

Ano: 2009

6. Em Boa Companhia

O jovem publicitário Carter Duryea (Topher Grace) assume a chefia de vendas da revista Sports America, posto que era ocupado por Dan Foreman (Dennis Quaid).

“O jovem entra afoito na empresa acha que vai conquistar espaço que não havia sido conquistado antes e o personagem do Dennis Quaid começa a fazer perguntas para ele se ele acha que aquela é a melhor estratégia”, diz Fátima. Ao invés de adotar uma postura de mentor, o profissional mais experiente estimula o mais jovem a pensar nas decisões que está tomando, destaca a especialista.

Em Boa Companhia

Diretor: Paul Weitz

Ano: 2005

7. Amor Sem Escalas

A função de Ryan Bingham (George Clooney) é demitir pessoas e ele viaja para os quatro cantos do país fazendo isso. Tudo vai bem até que seu chefe contrata Natalie Keener (Anna Kendrick),que desenvolveu um método de videoconferência para desligar funcionários.

“O personagem do George Clooney faz com que a jovem profissional vivencie o novo método que ela está propondo para que tire conclusões e pense em um processo que seja mais justo com as pessoas”, diz Fátima.

Amor Sem Escalas

Diretor: Jason Reitman

Ano: 2010

8. A Firma

Mitch McDeere (Tom Cruise) é um jovem advogado que vai trabalhar com um alto salário e diversas vantagens em uma firma em Memphis.

“A pessoa que vai negociar para que o jovem advogado possa alcançar um novo patamar faz com que ele pense nos valores deles”, diz Fátima.

De acordo com a especialista, este é o cerne do processo de coaching: fazer com que o profissional pense na ação que adota de uma forma mais estruturada. Ele faz um jogo de perguntas para que o jovem repense a posição dele. “ O que realmente importa, qual a essência da decisão que você está prestes a tomar, são algumas das perguntas formuladas”, diz Fátima.

A Firma

Diretor: Sydney Pollack

Ano: 1993

9. Gandhi

O filme conta a trajetória do indiano Mohandas Karamchand Gandhi (Ben Kingsley) que, com manifestações enérgicas, mas não-violentas, atraiu para si a atenção do mundo ao se colocar como líder espiritual de hindus e muçulmanos.

“É o mesmo caso do Invictus, as pessoas que passavam por Gandhi faziam perguntas a ele que, ao invés de responder fazia outras perguntas”, diz Fátima. As pessoas, ao pensarem sobre as perguntas feitas por Gandhi, passavam a entender o que estava por trás das decisões do líder.

Gandhi

Diretor: Richard Attenborough

Ano: 1982

10. Como Treinar seu Dragão

A história gira em torno de um garoto chamado Soluço (Jay Baruchel), que vive na ilha de Berk, onde os combates entre vikings e dragões são corriqueiros. Quando o garoto encontra a melhor raça de dragões começa a tentar inverter essa lógica e mostrar que não é preciso matar os animais e sim treiná-los.

“O garoto faz com o que o dragão entenda o que é preciso fazer. Quando se entendemos o porquê temos o poder de decidir se vamos ou não fazer”, diz Fátima.

Como Treinar seu Dragão

Diretor: Chris Sanders

Ano: 2010

11. Menina de Ouro

Frankie Dunn (Clint Eastwood) é um ex- treinador de boxe que passou a vida nos ringues, mas agora tem dificuldade de se aproximar dos outros por conta do afastamento da filha. Depois que a jovem lutadora Maggie Fitzgerald (Hilary Swank) insiste e mostra determinação ele aceita enfim começar a treiná-la.

“Neste filme o técnico faz o tempo inteiro perguntas para a jovem para que ela reflita sobre as coisas”, diz Fátima. A jovem aprende a técnica, mas não consegue levar as lutas adiante. “Não basta reproduzir a técnica sem entender qual o sentido daquilo para a sua vida”, diz Fátima. Sabendo o sentido, você passa a se entender para aplicar melhor o seu potencial, segundo a especialista.

Menina de Ouro

Diretor: Clint Eastwood

Ano: 2004

12. Mr. Holland – Adorável Professor

Em 1964, um músico (Richard Dreyfuss) decide começar a lecionar, para ter mais dinheiro e assim se dedicar a compôr uma sinfonia. Inicialmente ele sente grande dificuldade em fazer com que seus alunos se interessem pela música.

“O professor faz perguntas, provoca os alunos perguntando por que ocupam aquele espaço, qual o papel de cada um dentro do grupo”, diz Fátima. A atuação do professor faz com que os estudantes se coloquem uns no lugar dos outros, lembra a especialista.

*Fonte: Exame.com

Carreira e Aposentadoria

Nas nossas vidas, passamos por vários momentos importantes. E há um momento crucial – quando descobrimos o porquê viemos ao mundo. A partir desta tomada de consciência, podemos enfrentar o desafio de traçar os objetivos e nos posicionar como somos e com o que queremos.

Isso deve ser considerado no plano de gestão de carreira, sobretudo, com a proximidade da aposentadoria, período em que muitos profissionais sofrem um dilema: Devo definir um norte e tomar a decisão de construir uma nova realidade? Ou será melhor viver refém de um futuro indefinido em que seja necessário conviver com preocupações diversas? A maioria acaba entendendo esse momento como a perda de uma condição/status alcançada e acabam tendo grande sofrimento e desgaste emocional.

Pensar na aposentadoria demanda uma atenção especial para registrar com amadurecimento as conquistas alcançadas e o planejamento para o futuro. O convívio integral com a família, a divisão dos espaços emocionais e físicos, a readequação das finanças, além de outros aspectos são fundamentais e devem ser cuidadosamente projetado.

Independente da configuração, aposentar-se é certo em qualquer trajetória profissional. Se você deseja ter um final de carreira pleno, a melhor maneira de consegui-lo é preparar-se para isso.

As vivências do coaching, alinhadas ao plano de futuro dos profissionais podem auxiliar na construção dessa nova realidade. Portanto, garanta os seguintes aspectos:

Defina qual a vida que você deseja ter quando se aposentar.

O futuro precisa ser desenhado com bastante detalhe desde o momento que toma a decisão de se aposentar. Quanto melhor definido, mais chances de acontecer a contento.

Não economize nos benefícios e alegrias que você espera ter quando se aposentar.

Quanto mais você estiver convencido de que esse recomeço será maravilhoso, melhor será e mais propenso a investir nele você estará.

Não há sucesso na vida que compense o fracasso no lar.

Construa elos com sua família e converse sobre os seus entendimentos sobre os conceitos de bem estar e qualidade de vida.

Poupe e defina o que gostaria de realizar.

Disciplina é fundamental. Resista à tentação de dispor desse dinheiro para outros propósitos.

Assim, preparar-se no contexto físico, emocional e financeiro, visualizando as mudanças através de boas perspectivas te ajudará a desenvolver as condições necessárias

« Artigos anteriores